A sociedade galega contra a criminalizaçom das ideias e a persecuçom do independentismo


 
MANIFESTO ABROLHAR

As pessoas abaixo-assinadas, desde distintos setores sociais, sindicais, culturais e políticos deste País, sendo conhecedoras da detençom de 9 independentistas galeg@s em 2015 no marco da Operación Jaro e da sua imputaçom em imaginários delitos que podem supor o seu encarceramento, e estando preocupadas com a ilegalizaçom da organizaçom independentista Causa Galiza pola Audiencia Nacional que, a posteriori, foi “legalizada” por este mesmo tribunal,

PROCLAMAMOS

1º Que denunciamos e rechaçamos, com absoluta claridade e contundência, a montagem policial e judicial iniciada em 2015 contra umha organizaçom política e a sua militáncia com a pretensom de criminalizar e minorizar um posicionamento político digno e legítimo como é a constituiçom da Galiza em Estado como acontece hoje noutras naçons de Europa e debilitar, ainda mais, o estado atual das liberdades democráticas na Galiza.

2º Que exigimos do Governo espanhol, último responsável por esta operaçom, o arquivo definitivo da causa penal aberta a nove independentistas galegas e galegos no tribunal sucessor do TOP da Ditadura simplesmente por serem isso: independentistas que trabalham e luitam pola construçom e a liberaçom nacional deste País.

3º Reclamamos das autoridades espanholas o cessamento unilateral e imediato deste tipo de operativos repressivos cuja exclusiva finalidade é satanizar um projeto político e furtar à sociedade galega o debate livre, aberto e plural de ideias e perspetivas de País que é inerente a qualquer sistema que se proclame “democrático”.

4º Por último, convidamos os galegos e as galegas a participar na mobilizaçom nacional que convocarám @s processad@s e distintos agentes sociais, sindicais e políticos deste País no próximo 23 de abril em Compostela. O objetivo da citada mobilizaçom é reivindicar perante o Governo espanhol os pontos anteriores, desde a consciència de que a mobilizaçom e a pressom social som capazes de desbaratar montagens repressivas de profundo impulso político como a que estamos a contemplar.

Na Galiza, em 21 de março de 2017
Início da Primavera

Lista de Firmas